sexta-feira, 1 de abril de 2011

Monitoria Escolar


Em cada escola existem agentes que possibilitam um melhor trabalho junto aos nossos alunos e professores.
Sem dúvidas a Monitoria Escolar envolve muitos destes agentes.
Na Rede Adventista para o Mato Grosso elaboramos este material, que não tem um fim em si mesmo, e  nem abrange as realidades de cada espaço educativo, entretanto pode contribuir para a formação, orientação daqueles que exercem a função de monitor em escolas.
Assim, espero que seja útil o conteúdo aqui contido.

Até a próxima!!!

Nádia Teixeira da Silveira (março de 2011) atua na Coordenação Pedagógica Geral da Rede Adventista para o estado do Mato Grosso - É formada em Pedagogia, com pós-graduação em Psicopedagogia, Educação Especial, Docência para o Ensino Superior e mestranda em Educação pela UFMT - nadiacac@hotmail.com


Apresentação


Todo e qualquer indivíduo que se propõe a atuar profissionalmente numa escola torna-se consequentemente um educador. Dele se espera apresentação pessoal, posturas, ações, entre outros, que o habilite em sua função.

A Educação Adventista busca reinteirar no homem o propósito do criador, por isso:

Concebe-se o homem como um ser inteligente (em permanente mudança e capaz de aperfeiçoar-se), livre (com capacidade de autonomia dentro de um marco de ação), social (que vive em sociedade) e dotado de espiritualidade (transcedente e em contínuo aprimoramento). (Pedagogia Adventista, 2009, p. 32)
Enquanto educadores há necessidade de um olhar que compreenda o outro, que perceba sua trajetória de vida, que enxergue além do que se pode ver no exterior. Que entenda que existe um ser completo. Isso se faz imprescindível...

A fim de compreendermos o que se acha envolvido na obra da educação, necessitamos considerar tanto a natureza do homem como o propósito de Deus ao criá-lo. Precisamos também considerar a mudança na condição do homem em virtude da entrada do bem e do mal, e o plano de Deus para ainda cumprir Seu glorioso propósito na educação da raça humana (WHITE, Educação, p. 14)
Realizar nossa função da melhor maneira requer estudo, vivência, prática. Nem sempre é possível iniciar uma trajetória profissional sem conhecimento prévio da função a ser desenvolvida. O dia a dia nos envolve de tal forma com as urgências que pode ocorrer a perca de foco nas ações. Um estudo de cada função que compõe o espaço escolar pode colaborar para uma ação mais significativa e precisa, que realmente atenda o que a escola, os alunos precisam.

A dimensão escolar é um espaço propício para que profissionais se desenvolvam para atender adequadamente nossos alunos, entretanto, muito tempo é gasto ao esperar que as vivências proporcionem o crescimento ao educador, e quase nunca podemos prorrogar o tempo para um trabalho mais eficaz devido sua urgência inicial. Buscando preparar melhor o profissional que atenderá nossos alunos na monitoria escolar, elaboramos este material que é regido de acordo com o Regimento Escolar, bem como o Projeto Político Pedagógico da Rede Educacional Adventista no Estado do Mato Grosso, focando ações que o monitor deve realizar na escola, seus direitos, deveres, e comentários sobre algumas ações.

Sabemos que este material não encerra todas as ações, pois a escola é dinâmica e exige adaptações constantes para melhor acompanhar nosso aluno e todos que usufruem da mesma.

Contudo, todos aqueles que adentrarem em nossas escolas para a função de monitor escolar, terão um suporte de premissas que auxiliarão nas ações desta função, sendo o monitor, nosso também educador.


Ações do dia a dia

Para início de conversa, consideremos as atribuições dos Coordenadores Disciplinares e Monitores. Muitas das ações se fundem, pois a escola é dinâmica. Nas escolas que não possuem o Coordenador Disciplinar, muitas ações são de incumbência da Monitoria. Os comentários necessários encontram-se em itálico:

Atribuições da Coordenação Disciplinar

1. Orientar os monitores no cuidado com os alunos para que estejam em sala nos horários de aula, aguardando o professor sentado e em silêncio;

Os alunos devem receber as orientações de que devem estar dentro da sala nos horários de aula, se ausentando das mesmas apenas com a autorização do professor.

2. Coibir qualquer ação agressiva ou discriminatória;

3. Propiciar aos alunos o desenvolvimento do senso de respeito mútuo e cordialidade;

4. Encaminhar o aluno à Orientação Educacional quando não conseguirem resolver o problema ou mesmo for além de sua competência;

5. Estar em plena sintonia com os demais setores e cooperar nas atividades de cada um de acordo com a necessidade;

6. Ficar atento ao acesso e uso correto dos sanitários masculino e feminino, zelando para que não haja desperdício de água, sabonete, papel higiênico e toalhas, promovendo a conscientização dos alunos;

7. Manter a disciplina nos pátios, corredores, e nas salas de aula durante a ausência do professor com a monitoria;

8. Manter em alerta a todo e qualquer perigo que se ofereça aos alunos por pessoas estranhas ou pelos colegas;

9. Monitorar as atividades discentes desde o momento da entrada. Deverão observar e zelar para que os alunos estejam devidamente uniformizados, movimentem-se com segurança nos pátios e espaços internos, brinquem de forma amistosa e segura nos recreios, entrada e saída;

10. Monitorar todas as atividades dos alunos através da monitoria, não devendo restringir a atenção a um único aluno ou grupo por muito tempo;

11. Não permitir brincadeiras, jogos e ou atividades que estimulem a agressividade, violência, desrespeito ou todos os tipos de preconceitos. Tais atitudes devem ser consideradas pelo monitor como falta grave, e os envolvidos encaminhados imediatamente à Coordenação disciplinar e/ou Orientação Educacional;

12. O Coordenador Disciplinar deverá demonstrar amizade, cordialidade, gentileza e autoridade no trato com os alunos, pais e visitantes.



Atribuições da Monitoria

1. Acompanhar o início e o término das aulas mantendo a ordem nos horários de troca de professores;

O acompanhamento sistemático das aulas, diminui a indisciplina, prevenindo saídas da sala de aula em momento inoportuno. Verificar se ainda há sala sem professor e sanar o problema é mais uma forma de prevenção indisciplinar.

2. Assessorar os professores, providenciando material didático e pedagógico;

Junto à Coordenação Pedagógica, disponibilizar um cronograma de uso dos recursos disponíveis na escola, considerando horário da aula e reserva do professor. De acordo com a reserva do professor, preparar os recursos para uso na aula.

3. Auxiliar na realização de comemorações escolares;

Atentar para as necessidades das comemorações e providenciar o que for preciso.

4. Conhecer a Linha Pedagógica Adventista e participar da elaboração, execução e avaliação da Proposta Pedagógica;

Solicitar uma cópia da Proposta Pedagógica da Escola e do Regimento para leitura.

5. Contribuir para a preservação do patrimônio da unidade escolar, comunicando irregularidades constatadas;

Manter uma escola em ordem, sempre comunicando o que se encontra fora do padrão é tarefa valiosa, pois demonstra organização e cuidado.

6. Controlar os horários de entrada e saída dos educandos, permanecendo nas imediações dos portões, para prevenir acidentes e irregularidades;

7. Encaminhar ao setor responsável os educandos retardatários;

O monitor receberá orientações de como proceder, considerando que cada escola possui uma realidade. Há escolas em que o monitor realizará os procedimentos com os alunos, ligando e comunicando os responsáveis, procedendo algumas vezes com a advertência junto aos retardatários. Onde há Coordenador Disciplinar, o mesmo norteará algumas das ações do monitor.

8. Encaminhar ao setor competente da unidade escolar os educandos que apresentarem problemas, para que recebam a devida orientação ou atendimento;

Neste item, também precisará avaliar a realidade da escola. As fichas de acompanhamento, ou de advertência devem servir ao professor, que esgotada as tentativas de resolver problemas com o aluno, o encaminhará ao monitor, que por sua vez atenderá o aluno, trabalhando especialmente a conscientização dos problemas, refletindo sobre o que pode ser diferente na ação do educando para superação do fato em questão. Após sua tentativa, não havendo resolução, se buscará o setor competente, que poderá ser: Coordenação Disciplinar, Orientação Educacional (procurar em último caso, quando se referir a questão disciplinar), Direção Escolar.

9. Participar da avaliação da unidade escolar com vistas a melhoria do processo educacional;

10. Percorrer as diversas dependências da unidade escolar, observando os educandos para detectar irregularidades, necessidades de orientação e auxílio;

11. Prestar assistência aos educandos em casos de emergência;

Em casos de acidentes dentro da escola, o monitor atenderá o aluno, receberá informações da direção de como comunicar os responsáveis, e o fará via telefone. O mesmo poderá junto à secretaria da escola, entrar em contato com o seguro acidente escolar e informar aos pais os devidos procedimentos para atendimento.

12. Verificar as condições de higiene e ordem das salas, antes do início das aulas ou após o seu término;

Após verificação, caso a sala não esteja pronta para receber os aluno, comunicar ao serviço gerais para que organizem o que for preciso. Quando necessário, auxiliar na organização das carteiras.

13. Verificar o uso devido do uniforme escolar;

O uniforme é parte importante na escola, ele padroniza e diminui possíveis comparações. O mesmo deve ser exigido. O não uso sujeita o aluno à advertência.

14. Zelar pela observância dos princípios filosóficos da unidade escolar;

15. Acompanhar as agendas dos alunos quinzenalmente e comunicar aos responsáveis e orientador educacional possíveis problemas (quando não houver comunicar o coordenador pedagógico).

Verificar na escola como será o acompanhamento, se usará carimbos, como ocorrerá a discriminação no sistema de secretaria quando o aluno não assinalar suas tarefas, etc.

Organizar e sistematizar uma lista com ações, como a que se apresenta acima é fácil, entretanto, a maior necessidade é de reflexão sobre a ação, num contexto de trocas entre pares, discussões, reflexões, análises de forma individual e principalmente de forma colaborativa. As mudanças são possíveis quando analisada a trajetória do grupo que compõe a escola, e quando a equipe se concentra numa perspectiva de formação continuada, com clareza de objetivos, que visam em especial a construção ou reconstrução de ações mediante discussões. A aprendizagem só ocorre quando paralelo a ela há mudança.


Para continuar nosso propósito de aprendizagem, vamos analisar e refletir sobre o texto abaixo, o mesmo transcorre sobre pontos específicos para se trabalhar com crianças da Educação Infantil ou mesmo Ensino Fundamental – Séries Inicias, o trecho é um recorte do PQD 2008 da Professora Elys Moraes.



O monitor escolar

A Monitoria possibilita a experiência do cotidiano educacional promovendo a integração com alunos e professores, a participação em diversas funções e organização no setor.

Pode-se considerar que o monitor escolar tem como prioridade auxiliar os professores em sala de aula no acompanhamento e distribuição das tarefas, bem como: orientar os alunos juntamente com a professora quanto à higiene, lazer, vestuário, medicação, refeições e repouso; conduzir as crianças ao banheiro, dar banho caso necessário, escovação de dentes, fazer uso do sanitário, acompanhar diretamente essas atividades; manter as crianças sempre limpas e com roupas e calçados adequados a todas as situações; ajudar a servir a merenda ou lanche, e dar na boca quando for o caso; executar juntamente com a professora atividades recreativas, educacionais e ocupacionais com as crianças, bem como acompanhá-las em passeios fora da escola; informar a coordenação qualquer problema de saúde com as crianças para posterior atendimento médico; manter vigilância constante sobre as crianças, prevenindo acidentes que coloquem em risco a saúde e ou a vida das mesmas; garantir que todos tenham um comportamento adequado nos horários de refeições, fazendo com que tenham uma boa alimentação, que sentem corretamente em seus lugares e comam adequadamente; comunicar a coordenação qualquer irregularidade ou ocorrência com as crianças; manter-se ocupada com atividades em sala, no horário do repouso das crianças; deixar a sala de aula em ordem, após o término das atividades do dia; participar de eventos, palestras e treinamento sempre que solicitado pela chefia; executar outras atividades similares as acima descritas, a critério do seu chefe imediato; o ocupante do cargo é responsável pela guarda e manuseio do material da escola, que é usado em sala de aula ou fora dela.

A educação infantil e mesmo o trabalho desenvolvido com crianças pequenas exige que o monitor tenha a sensibilidade de se adequar aos conteúdos diversos do universo infantil até conhecimentos de áreas especificas e atualidades, além de ser necessário que estejam comprometidos com a prática educacional, capazes de responder às demandas familiares e das crianças, assim como às questões específicas relativas aos cuidados e aprendizagens infantis. É interessante que o monitor propicie a socialização das descobertas das crianças, isso ocorre quando se organiza as situações para que as crianças compartilhem as atividades, propiciando assim uma interação social.

Considerar que as crianças são diferentes entre si, necessita de uma educação baseada em condições de aprendizagem que respeitem suas necessidades e ritmos. Essas necessidades promovem avanços naquilo que a criança é capaz de realizar com a ajuda dos outros, ou seja, no seu desenvolvimento potencial.


Uma das grandes frentes de trabalho da Monitoria, refere-se a disciplina. O próximo trecho para leitura procede também do PQD 2008 da Professora Elys Moraes.



O monitor e a indisciplina

No dicionário da língua portuguesa a palavra disciplina quer dizer ensino. Certamente a indisciplina de uma criança pode originar de alguns fatores, mas os pais podem perceber essa situação em seu início, não saber ou não conseguir dizer “não” ou “sim” na hora certa, a dificuldade em estar impondo limites, na ausência de procedimentos que gerem obediência, a indisciplina se instala.

Sobre a questão da disciplina GARCIA (2002) nos diz que:

A disciplina não pode ser trabalhada a partir de mecanismos de controle comportamental, tal fenômeno já foi superado, o que se propõe atualmente é trabalhar a indisciplina enquanto fenômeno de aprendizagem. Dessa forma o aluno considerado indisciplinado não o é somente por haver rompido com regras escolares, mas porque não está desenvolvendo suas possibilidades cognitivas atitudinais e morais.
Podemos perceber que crianças em idades diferentes apresentam diferentes comportamentos e manifestações de indisciplina. Uma criança até os sete anos tem uma atitude e reações indisciplinadas diferentes de um pré-adolescente ou de um adolescente. Dessa forma, caso essas manifestações não sejam corrigidas no momento certo o problema pode ser maior, tornando-se adultos agressivos e violentos. Precisa-se trabalhar visando não mais um tipo ideal de homem, mas trabalhar em vista do sentido da vida humana. (MEDINA, 2004 p; 27).

Somos sabedores que cuidar dos filhos não é uma tarefa muito fácil, e nem educá-los é fácil. Com o advento de diversos conceitos psicanalíticos e psicológicos, que ganharam força em meados da década de 1970, algumas famílias em sua educação familiar, deixaram questões de disciplina ausentes, como é o caso dos limites. Crianças e adolescentes que possuam um comportamento indisciplinado na escola, consideram que podem tudo a qualquer hora. Não serão disciplinados só com a educação escolar, é preciso que haja harmonia entre família e escola.

Crianças e adolescentes indisciplinados e sem limites em casa, alunos indisciplinados e sem limites na escola. Desta forma, a indisciplina nos dias atuais deve ser vista como um fenômeno interativo que ocorre no contexto de sala de aula (AMADO, 2001, p.17).

A disciplina na escola pode ser vista não apenas como repressiva, mas de forma a conduzir a criança para a sociedade, com suas responsabilidades e deveres, respeitando cada estágio da idade do aluno. Nesse sentido trabalhamos a partir de um enfoque positivo, reconhecendo que a educação dos filhos é uma tarefa difícil e complexa. Acreditamos que os pais conhecem melhor do que qualquer outra pessoa quais são as necessidades de seus filhos e que desejam o melhor para eles.

Sendo assim, a indisciplina escolar esta intimamente ligada a tudo que diz respeito ao ensino, aos objetivos, as prática e perspectivas que orientam, além dos condicionantes próprios da aula, da escola, da comunidade e do sistema. (AMADO, 2001 apud Oliveira, 2004, p. 45).



Competências, Direitos, Deveres, Proibições e Medidas

Ainda exporemos as competências, direitos, deveres, proibições e medidas referentes a função da monitoria.


Competências

1. Adotar postura ética com todos os colegas da equipe e quando for necessário, fará suas observações com quem de direito;

2. Atender ao professor sempre que solicitado para troca de idéias sobre discentes;

3. Sua postura deverá ser sempre exemplar;

4. Encaminhar alunos aos setores da unidade escolar;

5. Não adotar em hipótese alguma postura preconceituosa;

6. Não apelidar, nem aceitar ou permitir apelidos entre alunos e colegas;

7. Não fazer comentários sobre os demais colegas de trabalho perante os alunos, pais ou visitantes;

8. Não usar gíria;

9. Responderá pelo almoxarifado;

Manter organizado o almoxarifado, com controle de saídas e entradas de materiais.

10. Saber que o professor é autoridade máxima em sala de aula não desautorizando o mesmo, nem fazendo qualquer comentário publicamente, ainda que a seu julgamento o professor esteja errado.


Direitos

1. Sugerir medidas para o bom andamento da unidade escolar;

2. Opinar sobre a segurança dos alunos.


Deveres

1. Trabalhar uniformizado conforme padrão da unidade escolar;

2. Zelar pela ordem e funcionamento da unidade escolar;

3. Organizar entradas e saídas dos alunos;

4. Manter a ordem durante o recreio;

5. Zelar pela integridade dos alunos durante o recreio;

6. Zelar pelo ambiente escolar, acompanhando os responsáveis pela limpeza e organização do mesmo;

7. Conhecer o regimento escolar e proposta pedagógica da unidade escolar.


Proibições

1. Ausentar-se do setor de trabalho em horário de expediente;

2. Contato físico com alunos e colegas em local e expediente de trabalho;

3. Uso de cabelos compridos, bonés e piercings para os homens;

4. Uso de tamancos, jóias, bijuterias, penteados excêntricos, piercings e pinturas extravagantes para mulheres.


Medidas

1. Observação verbal ou por escrito quanto ao não cumprimento de seus deveres ou realização de proibições pela equipe pedagógica;

2. Encaminhamento para a equipe administrativa, a qual, em consonância com a mantenedora, tomará as devidas providências.


Considerações

Os comentários e ações aqui discriminadas servem de base para direcionar o trabalho da monitoria, contudo, as reflexões não se encerram, e muito ainda pode ser feito para o aprimoramento da função.

A base principal de qualquer função deve ser a reflexão na prática, com vista a mudança de posturas e quebra de paradigmas.

Que a cada dia possamos crescer nas trocas e realizar o melhor pela Rede de Educação Adventista no Estado, Brasil e Mundo.


Referências Bibliográficas

RIVAS, Selena Castelão.(org.) Pedagogia Adventista. Educação Adventista – Departamento de Educação. Tatuí, CPB, 2009.

WHITE, Ellen. Educação. Tatuí, CPB, 2008.

Moraes, Elys. PQD 2008. Departamento de Educação. Cuiabá, 2009.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...